Com problemas extra-campo, Porto Mutts pode ser eliminado da semifinal

Equipe pode ser eliminada por não conseguir campo para jogar. Foto Mutts/Divulgação

Em uma nota aberta ao público, a direção do Porto Mutts apresentou fatos que podem eliminar a equipe da semifinal contra o Algarve Sharks, que está agendada para este sábado (9). Segundo o time da Invicta, a Associação Portuguesa de Futebol Americano (APFA) declarou que se os vira-latas não conseguirem organizar a partida serão automaticamente eliminados da competição, com isso, a equipe do Faro avança à final.

Confira o chaveamento dos playoffs da Liga Portuguesa

Leia a versão dos Mutts sobre o caso

“MUTTS VÃO SER ELIMINADOS NA MEIA-FINAL, POR IMPOSIÇÃO ADMINISTRATIVA DA LIGA.

Na meia-final, os Mutts defrontariam os Sharks, mas tal não será possível.

Esclarecimentos a seguir.

Resumo rápido: A meia-final estava desde sempre prevista para dia 10 de Abril. A 3 dias úteis do jogo, a APFA obriga-nos a organizar, inesperadamente, o jogo para o dia 9, ignorando todas as dificuldade para tal, quer do ponto de vista logístico, quer desportivo. Os Mutts demonstraram a não disponibilidade para tal e a APFA comunicou-nos que seremos eliminados se não organizarmos o jogo e participarmos nele. Como foi a 3 dias, poderia ter sido a 1 ou no próprio dia. Existem limites e decidimos como equipa que somos, manter-nos unidos e tomar a decisão mais acertada. Não vamos ceder.

Cronologia dos acontecimentos:

– 7 de Outubro de 2015:

A APFA divulga o calendário para a nossa Liga, que entrou em vigor na semana seguinte. Nesse mesmo calendário, está previsto o jogo da meia-final aqui em causa, para o dia 10 de Abril de 2016. Na imagem podem verificar o calendário que nos foi fornecido pela APFA para os playoffs, com indicação clara, da data para a meia-feinal (jogo nº 45).

– 12 de Março de 2016:

Os Mutts terminam a 2ª fase da Liga, como primeiros classificados na Zona Norte. Como tal, fica definido que serão os Mutts a organizar o jogo da meia-final, em casa, no dia 10 de Abril de 2016.

– 17 de Março de 2016:

Os Mutts informam os adversários potenciais e a APFA, no caso, Crusaders, Navigators e Sharks, da nossa intenção de marcar para as 16h do dia 10 de Abril de 2016 o jogo. Os Sharks informam do incómodo da situação causada pela não rápida decisão da Liga no caso de desempate entre Crusaders e Navigators. Informam também que gostariam de ter mais tempo de descanso e pedem para que se ADIE o jogo da meia-final, caso passem.

– 18 de Março de 2016:

Após averiguar internamente, os Mutts informam os Sharks da dificuldade em adiar o potencial jogo, por motivos de compromissos que os jogadores assumiram desde a saída do calendário oficial, os nossos atletas tinham feito para os fins de semana seguintes (profissiais e pessoais). Sharks respondem com um ok.

– 29 de Março de 2016:

Mutts confirmam oficialmente os Sharks, Navigators e APFA, da data de 10 de Abril para a realização do jogo da meia-final, na hora pré-informada.

– 3 de Abril de 2016:

Os Sharks, após garantirem apuramento para a meia-final, comunicam as extremas dificuldades que teriam em participar no jogo no fim de semana seguinte, informando que teriam o máximo de 12 jogadores, entre impedimentos pessoais, profissionais e lesões. Informam pretender ADIAR o jogo.

– 4 de Abril de 2016 (a 6 dias do jogo):

Informamos da nossa dificuldade em adiar, pois após consulta com os jogadores, voltamos a verificar a impossibilidade de atletas, por comprimissos há muito tempo assumidos.

– 5 de Abril de 2016 (a 5 dias do jogo):

12h00:

A APFA propõe-nos jogar no fim de semana de 23/24 de Abril. Verificamos novamente impedimento de jogadores e perguntamos se a final seria posteriormente adiada, o que nos foi indicado que não pela APFA.

14h00:

Tendo em conta, todas as dificuldades e atrasos do processo, comunicamos que estaríamos disponíveis para passar para o fim de semana de 16/17. De referir que nessa data não teríamos o nosso QB disponível, por férias no estrangeiro, pagas e agendadas há muito tempo. Temos atletas amadores e um roster reduzido de cerca de 25 jogadores por jogo. Quem conhece o Futebol Americano sabe o importante que é para uma equipa, a participação ou não do seu Quarterback. Colocamos a hipótese de jogar a meia final a 1 de Maio e final 15 dias depois. Foi recusado pela APFA.

15h00:

Inesperadamente e de uma forma imprevista, a APFA invoca regras e comunica-nos que o jogo será dia 9 de Abril, mesmo tendo conhecimento de impedimentos significativos nossos a essa possibilidade, que foram ATEMPADAMENTE comunicados durante todo este processo. Simultâneamente, sempre foi a postura coerente dos Sharks, em afirmar que não tinham condições nenhumas de participar no próximo fim de semana na meia-final.

18h50:

Mutts voltam a propor a possibilidade de 16/17 de Abril. APFA informa-nos que tinha informado os Sharks.

22:00:

Sharks indicam pretender jogar dia 9 de Abril.

– 6 de Abril de 2016, quarta-feira:

10h00:

Mutts averiguam encontrar solução rápida para dia 9 de Abril encontrarem campo, sem sucesso. Simultâneamente, disparam informações dentro dos Mutts de mais jogadores a não conseguirem se libertar para o jogo caso seja Sábado, com tão pouco tempo útil e com a agravante de terem organizado tudo à volta da disponibilidade de dia 10 de Abril. Informamos a APFA destas dificuldades crescentes.

16h00:

Mutts informam APFA que não têm condições de organizar a prova, nem de participar em condições desportivas aceitáveis, na data imposta de 9 de Abril.

16h20:

– APFA informa que o jogo será dia 9 de Abril, por indisponibilidade dos Sharks para qualquer outra data.

20h00:

– Mutts informam a APFA que se recusam a organizar ou participar nestas condições. Reforçamos, que sempre informamos a data de 10 de Abril e que essa data, é a que está afixada no calendário oficial da Liga. Sempre procuramos encontrar soluções para os problemas, mas nem sempre são possíveis quando se alteram as bases assumidas em cima da hora. Fizemos o nosso esforço. APFA responde que o jogo está marcado e que se não aparecermos, seremos eliminados. Pedem-nos a informação do local do jogo.

– 7 de Abril de 2016:

Vamos comunicar oficialmente o nosso impedimento à APFA para 9 de Abril. Já passamos para o campo de análise jurídica toda esta situação, que embora para nós não seja o campo prioritário para o nosso futuro, nem relevante, iremos avaliar todos os prejuízos que nos foram e estão a ser causados. Obviamente, valores mais altos se levantam agora.

Observações finais:

Embora a postura desportiva de maior parte dos atletas de todas as equipas, seja de profissionais, as suas vidas pessoais têm de ser geridas entre compromissos pessoais, profissioais e outros. Não se pode exigir aos atletas uma disponibilidade permanente, como a um atleta profissional, onde a sua disponibilidade para a equipa, seria total.

Compete por isso a uma organização de Liga, manter o máximo de estabilidade de compromissos desportivos, e outros, com o máximo de antecedência. Só assim se conseguirá que os atletas consigam fazer os necessários ajustes às suas vidas, por forma a termos o máximo de fair-play participativo nos jogos.

Com as muito pequenas excepções dos atletas contratados por algumas equipas, nas quais não nos incluimos, todos os atletas até pagam para jogarem. São os únicos intervenientes desportivos que PAGAM para jogar. Os árbitros recebem, os atletas pagam. Mais uma vez, é normal que sendo considerados amadores, obrigaria a um maior respeito e maior estabilidade de compromissos.

Felizmente, consideramos que os Mutts estão bastante bem organizados como organização. Desportivamente também temos gradualmente continuado a fazer a nossa evolução e estamos por isso preparados para continuar a competir.

Consideramos que é normal existirem equipas com outro tipo de organização e que nem todos estrejam organizados da mesma maneira. Por isso é importante uma organização de Liga forte, competente e bem ciente das características de todos.

Não queremos andar a jogar jogos nos bastidores, nem em escritórios de advogados. Estamos aqui para jogar o Futebol Americano por prazer. Pagamos para tal. Temos pena é de não conseguir também jogar com Navigators ou Crusaders, pois gostamos é de desafios e gostamos de crescer. Teríamos imenso prazer em poder voltar a enfrentar os Sharks, cheios de atletas mais evoluídos que nós e por isso um desafio daqueles que nos mantem motivados a todos nos treinos. Organizamos tudo para tal. Não é possível. Não nesta Liga desta forma. Paciência. Cá estaremos para quando for possível.

Encontraremos forma de estarmos em competição. Felizmente, o desporto ainda está no início do seu desenvolvimento em Portugal e muita água há-de ainda correr no moínho. Uma porta fecha-se e cá estaremos para abrir outras.

A equipa e os nossos adeptos, estamos e estaremos sempre unidos.

A direcção dos Mutts”