Porto Alegre Gorillas derrota Juventude e alcança a façanha de chegar ao Gaúcho Bowl

Defesa do Porto Alegre Gorillas mostrou eficiência de um ano para outro. Foto Sandro Schuh/Peter Parker Fotos

Porto Alegre está de volta a uma decisão do campeonato gaúcho. Após dois anos consecutivos de Santa Maria Soldiers e Juventude no Gaúcho Bowl, neste sábado (16), a jovem equipe do Porto Alegre Gorillas quebrou a hegemonia local. Num feito épico, o roster púrpura bateu os caxienses de virada por 14 a 7. O evento foi realizado no relvado do Complexo Esportivo da PUCRS, na Capital.

Saiba como estão os playoffs do campeonato gaúcho

No mesmo gramado onde o Porto Alegre Pumpkins havia vencido e perdido um Gaúcho Bowl contra Santa Cruz Chacais – em 2014 – e perdido para o Juventude – em 2015 -, os Gorillas trataram de recolocar a cidade no mapa do futebol estadual.

Com a manutenção do playbook da temporada passada, que funcionou para manter o programa na elite nacional, o Juventude tratou de aprimorar a flex bone formation e seu triple option, uma vez que o plantel sofreu com a saída dos americanos e o signal caller Eduardo Cauzzi.

A primeira campanha quase resultou em pontuação, mas uma defesa adaptada do box lotado em formação 35 tratou de forçar um fumble e recuperar a posse para os mandantes. Em dado momento, este poderia ser somente um lapso da defesa local, já que os visitantes eram os favoritos para o embate por ter um elenco mais experiente em decisões. Ou talvez, fosse a jogada que poderia finalmente por Porto Alegre frente a Caxias do Sul pela primeira vez na história. O Juventude sabia o caminho de vencer na Capital. A história mostrou isso algumas vezes.

Os Gorillas procuraram responder na mesma moeda: o jogo terrestre. Se por um lado correr quase que em todos os hikes mostrou eficiência no lado serrano, o running back #22 Welsey Rocha também poderia mostrar serviço, uma vez que tivesse lead blockers para protegê-lo.

O primeiro quarto deste duelo de trincheiras encerrou com o placar inalterado.

Com o andamento do segundo período, a batalha entre offensive lines e defensive llines se intensificava. O esforço físico e mental foi ao extremo. Quando o embate se encaminhava para um segundo zero a zero na primeira etapa, eis que o signal caller #7 Antonio Freire liderou a unidade pela primeira vez em redzone. O quarterback conectou o wideout #87 Pedro Boni num passe de 19yd para touchdown. Boni venceu a marcação do cornerback em cover 3 numa rota wheel dentro da endzone. Só que o pesadelo dos Gorillas da temporada passada voltou a atormentar, um erro no hike atrapalhou a conversão do try. 6-0.

Na etapa complementar, os donos da casa apresentaram gosto por anular o improvisado quarterback rival. o middle linebacker #52 Ricardo “China” Daronch liderava a unidade defensive em tackles for loss, para minar o desempenho do Juventude.

Se por um lado a defesa porto-alegrense era sucedida em impedir o avanço, a defensive line do Juventude mostrava eficácia em conter a ousadia local.

Mesmo descontado de jogadores que fizeram a diferença no ataque de Caxias do Sul no passado, o Juventude ameaçou o triunfo de Porto Alegre, quando o quarterback #11 Marcos Vinícius Almeida aproveitou uma falha entre defensive lines e linebackers pelo meio venceu 17yd para terminar a corrida na gola line e anotar o touchdown de empate. O placekicker #7 Álvaro Fröhlich colocou os visitantes na frente.

Com seis minutos para jogar, um ponto no revés e posse de volta às suas mãos, Freire sabia da responsabilidade de controlar o relógio e tratar de comandar uma campanha finalizada em pontos. Assim o fez. Num drive de cerca de quatro minutos, o quarterback de Porto Alegre manteve o rendimento conservador com descidas de Rocha para trazer a secundária – em marcação soft – para perto da linha de scrimmage. Quando o Juventude compactou para defender uma corrida, Freire lançou o tight end #9 Jonathan Furquim em um passe de 21yd para touchdown. Para calibrar a diferença em uma posse, a dupla Freire-Furquim ampliou com a conversão de dois pontos.

Caxias do Sul ainda teve a oportunidade de igualar o marcador dentro do two minute warning. Disciplinado na estratégia com o smashmouth offense, o Juventude lutou bravamente para chegar pela segunda vez na redzone. Entretanto, um false start em uma quarta descida minou o que poderia ser o começo da manutenção da invencibilidade diante de Porto Alegre. O golpe de misericórdia veio com uma interceptação de Almeida. Final 14-7.

O triunfo coloca o Porto Alegre Gorillas no Gaúcho Bowl X. O programa agora espera o vencedor de Ijuí Drones e Santa Maria Soldiers, que jogam no dia 23 de junho, em Ijuí. A decisão está agendada para o dia 30 de junho ou 1º de julho.

Enquanto que o Juventude volta as suas atenções à disputa do Brasil Futebol Americano (BFA) no segundo semestre.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment