Posição de campo: a chave para a vitória entre Recife Mariners e João Pessoa Espectros

A coletiva de Mariners e Espectros contou com a participação de um representante do Consulado dos Estados Unidos no Recife. Foto Victor Lima/Mariners

A decisão da Superliga Nordeste coloca frente a frente os dois melhores ataques e defesas do campeonato. O duelo marcado para este domingo (22), na Arena Pernambuco reeditará a final da temporada de 2014. Em entrevista coletiva realizada na tarde desta quarta-feira (18), os head coaches Lucas Cisneiros (Recife Mariners) e Brian Q. Guzman (João Pessoa Espectros) contaram o que esperam deste clássico da região.

Confira a tabela de classificação da Superliga Nacional

Veja o calendário de jogos da Superliga Nacional

— O que podemos esperar é um jogo que vem sendo mostrado neste ano: um jogo muito emocionante. Foram dois jogos decididos nos detalhes e nos últimos momentos. Acho que a gente pode esperar o mesmo: um jogo muito competitivo, muito bem jogado e de alto nível — disse Cisneiros.

— Acho que este jogo será melhor dos que os dois últimos, não só pelos rankings de ataque e defesa que os times atingiram nesta superliga, mas pela forma como os dois times se comportam quando estão se enfrentando. Foram dois jogos extremamente competitivos. E o elemento atrativo para o torcedor é que foram dois jogos imprevisíveis — contou Guzman.

De acordo com Cisneiros, um dos fatos que contribuiu para que os Mariners conseguissem duas vitórias seguidas contra os Espectros foram a preparação e a organização (física e técnica) em um período mais cedo na pré-temporada, além do amadurecimento da equipe.

— O grupo está ciente do seu potencial e está pronto para competir contra adversidades. A gente sabe que nós devemos trabalhar a cada snap — comentou Cisneiros.

A pressão nos kickers Rafael Bandeira (Recife Mariners) e Diego Aranha (João Pessoa Espetros)

Com duelos cada vez mais acirrados entre Mariners e Espectros, tanto que os últimos resultados foram decididos a favor dos pernambucanos por um ponto de diferença – no primeiro encontro [20-19] – e por uma posse no overtime [25-19], a posição de kicker/place kicker pode ser um fator determinante para uma nova conquista e a sonhada vaga à final da Superliga Nacional.

— Se o padrão (competitividade) seguir para este terceiro jogo, é bastante provável. A gente sabe que o kicker ou o placekicker tem um papel fundamental no posicionamento de campo e principalmente na estratégia de jogo, no nosso caso, manter a bola longe da mão de TL (Edwards). Às vezes, o posicionamento de campo acaba influenciando muito mais do que os três pontos de um field goal. Mas sei que o bom trabalho dos dois kicker vai influenciar bastante no resultado final —explicou Guzman.

— No primeiro jogo, o special team dos Espectros nos deixou com as costas contra a parede e foi bem difícil de desenvolver o jogo. Os kickers vão influenciar muito além do jogo, o posicionamento de campo provavelmente será a chave deste jogo — completou Cisneiros.

Ouça a entrevista completa

[soundcloud url=”https://api.soundcloud.com/tracks/233807237″ params=”auto_play=false&hide_related=false&show_comments=true&show_user=true&show_reposts=false&visual=true” width=”100%” height=”450″ iframe=”true” /]