Relação de faltas por partida e nível de disciplina por equipe no campeonato gaúcho

Após os representantes da comissão de arbitragem da Federação Gaúcha de Futebol Americano (FGFA) se pronunciarem a respeito dos incidentes que envolveram a partida de abertura da semana 6 do campeonato gaúcho, entre Porto Alegre Bulls 0-50 Porto Alegre Pumpkins, dirigentes, jogadores, comissões técnicas e árbitros abriam um debate para reavaliar o excesso de faltas nas partidas que influem diretamente na duração dos jogos e diminui a intensidade do espetáculo.

Confira a nota oficial sobre o posicionamento dos árbitros no jogo entre Bulls vs. Pumpkins

As opiniões divergiam entre os apoiadores da aplicação rígida das regras, junto com punições aos jogadores, técnicos e torcidas que infligiam os códigos de conduta e regulamentos do Livro de Regras; contra os que pediam um abrandamento do lançamento do pano amarelo para administrar melhor o tempo de duração dos duelos.

O Futebol Americano Brasil realizou um levantamento sobre o número de faltas aplicadas por cada uma das dez equipes que disputam a oitava edição do certame estadual. Confira abaixo quais são os times mais faltosos e quais são os fair plays.

As faltas dividas jogo-a-jogo

Faltas1

Ao todo, foram lançadas 232 flags nos oito jogos da temporada regular, uma média de 29 penalidades por partida. Já os times somaram a quantia de 1921 jardas cedidas, uma média de 240,125 yds por duelo.

O jogo mais faltoso foi entre Porto Alegre Bulls 0-13 Restinga Redskulls – o confronto no terceiro quarto foi caracterizado por excesso de flags em sequência, em uma única jogada, os Redskulls cederam mais de 40yd por soma de faltas pessoais e condutas antidesportivas em bola morta.

Enquanto que o jogo mais disciplinado foi entre Ijuí Drones 85-0 Venâncio Aires Bulldogs, com 19 panos amarelos lançados ao relvado. Vale ressaltar que a partida foi encerrada após o final do 3º quarto por falta de luz natural e artificial. Já o embate com mais jardas cedidas foi São Leopoldo Mustangs 13-14 Porto Alegre Bulls, os times somaram 328 yds de penalidade.

O time que mais somou flags foi o Restinga Redskulls – 34 no total. Erros contra os Bulls ajudaram a aumentar o dado negativamente.

A média de faltas cometidas por equipes e as jardas recuadas

Faltas2

Já os times mais disciplinados são o Juventude e Ijuí Drones, com média de 10 faltas cometidas por partida. O time que menos cedeu jardas foi o Venâncio Aires Bulldogs – 80.5yds por partida.

O time que mais recuou em razão das penalidades foi o Porto Alegre Pumpkins. Em média dez jardas são recuadas por falta. Enquanto que o Bento Gonçalves Snakes é o time que mais tem panos lançados contra si. O elenco da Serra Gaúcha tem em média 20 penalidades por partida.

Análise primária

Se levarmos em conta a média de 29 flags e 240yd cedidas por partida, dividíssemos este resultado por 2 – onde representam o Time A e Time B – para chegar a uma constante [±13 flags e 120yds por equipe], somente em dois jogos a constante faria a diferença em uma melhora das campanhas em yds totais para ambos os times – os casos são: São Leopoldo Mustangs 13-14 Porto Alegre Bulls e Porto Alegre Bulls 0-13 Restinga Redskulls.

Em casos isolados, onde somente um time conseguiria uma melhora no desempenho de yds totais, os Pumpkins (contra os Mustangs), os Snakes (contra os Chacais) e os Soldiers (contra os Bulldogs) ultrapassaram a média de yds cedidas da constante.

Fica aberto o debate: será que os árbitros devem seguir com a rigidez da aplicabilidade da conduta desportiva constada no Livro de Regras, ou administrar melhor a aplicação das penalidades contra as equipes em prol da duração do evento?

Nota do editor: a temporada regular tem vinte jogos. Foram levantados os dados de oito partidas. Duas ainda não computadas: Bulls 0-50 Pumpkins e Snakes 6-43 Soldiers. Pois ainda não foram publicados os vídeos dos jogos para realizar o scounting.