Ufersa Petroleiros cai diante do Recife Mariners, que mantém a invencibilidade na Superliga Nordeste

Mariners seguem imbatíveis na temporada 2015. Foto Rafael Brasileiro/Recife Mariners

O desempenho não foi o esperado. Os Mariners sabiam que poderiam produzir muito mais contra os Petroleiros, em Mossoró. O placar até demonstra outra realidade, mas com um pouco mais de atenção, os azuis poderiam ter saído com um score mais favorável do que a vitória por 22 a 0. Mesmo assim, o resultado tem que ser bastante comemorado, já que manteve a invencibilidade dos pernambucanos na Superliga Nordeste e os deixam em vantagem para o próximo desafio, contra o João Pessoa Espectros no próximo dia 12 de outubro, no Estádio dos Aflitos, em Recife.

Confira a tabela de classificação da Superliga Nacional

Veja o calendário de jogos da Superliga Nacional

Sob um forte calor de 35ºC, o Ufersa Petroleiros começou com a bola, mas a defesa do Recife Mariners foi impetuosa. Não permitiu a conquista da primeira descida na campanha que abriu o jogo e o ataque seguiu o ritmo da unidade defensiva. Com passes e corridas bem sincronizadas, o running back Lucas Adolfo não demorou muito para marcar seu oitavo touchdown na temporada.

A defesa seguiu o ritmo de parar os adversários e no segundo punt da tarde, a bola bateu em um jogador dos Mariners e os Petroleiros recuperaram a bola na linha de 50yd. Os defensores conseguiram manter a boa apresentação e deixaram os donos da casa sem pontuar em nova campanha, inclusive perdendo field goal. Contudo, a tarde não parecia ser a melhor para os pernambucanos.

Na campanha seguinte, os Mariners começaram andando bem. Apesar das faltas ofensivas, o quarterback americano Drew Banks conseguia converter terceiras descidas com passes longos. A jogada que prejudicou o time mais uma vez, foi um erro de comunicação entre o quarterback e Artur Guerra, quando os Petroleiros recuperaram a bola.

Os Mariners ainda recuperaram a bola e pareciam ter voltado ao ritmo do início da partida. Guilherme Pinho e Lucas Teodoro foram os principais personagens da campanha e Banks marcou um touchdown através de passe para o receiver Eduardo Palácio. A jogada que colocaria mais seis pontos no placar para os azuis foi anulada por uma falta e os pernambucanos tiveram que ir para o field goal. O kicker Rafael Bandeira parecia ter acertado o chute, mas a bola foi bloqueada pelo time da casa.

O Nogueirão veio abaixo e os quase 300 torcedores se empolgaram com o momento da partida. Havia pouco tempo no placar e o quarterback dos Petroleiros, Moisés, bem que tentou, mas foi parado pela linha defensiva e o jogo foi para o intervalo com 7 a 0 no placar.

Após o intervalo, os Mariners voltaram para o segundo tempo recebendo a bola, mas não aproveitaram a chance de ampliar o marcador. Tiveram que devolver a bola e os donos da casa ficaram mais ousados. Na sua primeira campanha, tentaram uma conversão de quarta descida ainda no seu campo e não foram felizes. Na campanha seguinte, os azuis tentaram aproveitar a chance dada, mas se encontraram na mesma situação dos Petroleiros após várias tentativas e falharam na quarta descida.

As trocas de bola perduraram por todo o terceiro período e a tensão que tomava conta do estádio Nogueirão só acabou no quarto período. Após uma grande campanha, Lucas Adolfo voltou a entrar na endzone para melancolia da torcida potiguar. Após o ponto extra dos Mariners e com 14 a 0 no placar, não havia muito o que fazer.

Restava pouco tempo no relógio e os Petroleiros começaram a arriscar, mas sem sucesso. Os azuis recuperaram a bola e o receiver Ricardo Teixeira, que teve duas recepções para 45 jardas na campanha, marcou o último touchdown da partida. Rafael Bandeira bem que tentou marcar o extra point, mas o snap saiu errado e o holder Guilherme Pinho marcou o try em uma corrida que não foi combinada.

Agora, o Mariners (5-0) treinará apenas uma vez nesta próxima semana para receber os Espectros (4-1), nos Aflitos. Caso vença, garante a primeira colocação geral da competição e o direito de jogar os playoffs em casa.

Já os Petroleiros dificultam as chances de classificação para a próxima etapa com campanha 2-3. O último compromisso será contra o Recife Pirates (2-3), em Mossoró, no dia 17 de outubro.