Especulações envolvem Brett Favre no Cuiabá Arsenal

Lendário QB pode parar no Cuiabá Arsenal em 2017? Foto Fox Sports

Depois de Nic Harris, Tony Simmons, John Booker, Demetrien Veal e outros americanos a atuarem no Brasil nos últimos anos, a recente especulação de ex-atletas da National Football League no mercado brasileiro – nada mais, nada menos – se trata do ídolo do Green Bay Packers e Minnesota Vikings, Brett Favre, no Cuiabá Arsenal.

Confira a tabela de jogos do campeonato mato-grossense



Sim, fã da bola oval, não estamos loucos. O nome de Favre pode surgir em negociações da direção do Arsenal para a temporada 2017. O Futebol Americano Brasil entrou em contato com os dirigentes da equipe para saber mais sobre a possível histórica aquisição para o bicampeão brasileiro (2010 e 2012) neste ano.

— No momento, o Arsenal não tem nada fechado com ninguém. Só especulação. E não haverá contratações para o estadual — informou a assessoria de imprensa do Arsenal.

A terceira edição do campeonato mato-grossense começa no dia 15 de abril, porém, o Arsenal só estreia no dia 29 de abril, quando viaja a Lucas do Rio Verde para enfrentar o estreante Luverdense Overwhelming.

Se para a competição local está descartada a possibilidade, para a disputa do Brasil Futebol Americano (BFA) – a primeira divisão do campeonato brasileiro – a janela se mantém aberta.

— É possível que tenhamos contratações para o nacional, mas nada fechado — completou.

Questionado sobre se os acordos envolvem jogadores brasileiros ou estrangeiros, a assessoria deixou aberto para se tratar de qualquer atleta.

— O Arsenal está estudando as possibilidades. No momento, não está fechado com ninguém. Mas podem ser de qualquer nacionalidade — finalizou.

Vale ressaltar que o nome de Favre não foi negado em nenhum momento.

Mesmo tendo jogado na Arena Pantanal por algumas vezes e ter o recorde de público do FABR em toda a história, fica a curiosidade – e ousadia do Arsenal – caso venha a negociar com o histórico quarterback. Será que o hall of famer está disposto a sair do Mississippi para ir ao Mato Grosso?

Responsabilidade ou não sobre desmentir a especulação?

Boato não ser desmentido pelo time, caso seja apenas boato, é irresponsabilidade.

Por algumas oportunidades já mencionamos que um dos problemas mais latentes na administração do futebol americano nacional é a falta de transparência. Recentemente, vale lembrar a zona que foi o anúncio de nome “BFL/BFA” da nova Superliga Nacional após a CBFA passar a administração do mesmo para os times.

Brett Favre tem 47 anos. Quarenta e sete. Não faria o menor sentido que ele saísse dos Estados Unidos para jogar futebol americano num país onde o esporte é semi-profissional e onde ele não receberia uma fração de dinheiro que recebeu para jogar uma partida nos Estados Unidos.

Pode acontecer? É aquele 1%, pode. O Cuiabá Arsenal é um dos times com balanço mais equilibrado, muito por conta do apoio do comércio local. Mesma situação acontece em Timbó com o Timbó Rex – por ironia, é uma situação parecida a Green Bay, onde a comunidade abraça os Packers desde a década de 1920.

De toda forma, caso os 99% de chance disso só ser um boato bizarro se confirme, é imperioso que o próprio Arsenal – pela reputação e credibilidade do time e do futebol americano nacional com o público que só assiste NFL por ora – viesse a público desmentir o feito. Lembra (e muito) a situação do Atlético/MG com Anelka e o recente Corinthians e Drogba. Não precisam disso.

Nota do editor: o presidente do Arsenal, Paulo Cesar Machado, foi contatado pelo FABR e não respondeu as mensagens até o fechamento desta reportagem.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

COMMENTS

  • Philipe Hilarino

    A história do Anelka envolveu o Atlético Mineiro e não o Botafogo e tanto nessa situação, quanto na situação do Drogba, houveram sim negociações ou seja, nesses 2 casos não houveram falta de respeito com os torcedores, houve sim uma negociação não concretizada.

    Já no caso Favre, concordo que é uma falta de respeito deixar no ar a possibilidade de contratação, se não houver nem um tipo de contato, agora se existir qualquer possibilidade, já seria um grande passo para o FA no Brasil, haja vista que o simples fato de fazer contato para sonhar em trazer um dos maiores QB da história é uma vitória para qualquer time no Brasil.

Leave a Comment