Gaspar Black Hawks acerta a chegada de Drew Hill para a temporada 2019

O signal caller de 34 anos chega para liderar o programa do Gaspar Black Hawks em 2019. foto Arquivo pessoal

A diretoria do Gaspar Black Hawks acertou o ingresso do signal caller americano Drew Hill para a temporada 2019 do campeonato catarinense e Brasil Futebol Americano (BFA). O jogador chega a Santa Catarina para atuar tanto infield, como uma liderança na sideline.

Saiba como foi a temporada 2018 do campeonato catarinense

Logo após conquistar a vaga na Conferência Sul do Brasil Futebol Americano com o título simbólico da Divisão Sul da Liga Nacional, os dirigentes de Gaspar buscaram no mercado uma referência para comandar o ataque, depois da saída do head coach mexicano Rodolfo Negro Ruiz. Hill aparecia no topo da lista de possíveis negociações.

— A gente trabalha com pilares. Todo o ano, trabalhamos com um nome em especial, que é o pilar primário. Neste ano decidimos investir no Drew Hill. Tínhamos também uma outra negociação com o Vincent Pervis, que já jogou nos Black Hawks anteriormente, mas ele veio num período que o time não está pronto para ele trabalhar, diferente de hoje. Atualmente temos a ideia de trazer um técnico para direcionar na continuidade da evolução — explicou o dirigente dos Hawks, Diogo Mafra.

A gestão aproveitou para agradecer todo o empenho e trabalho do coach Ruiz durante a liderança técnica da equipe.

— No ano passado, o crescimento com o coach Negro foi maior do que este ano. 2018 também teve um grande crescimento, ainda mais, em trabalho junto com os coordenadores. Neste momento, acreditamos que precisa haver uma alternância na liderança entre os coaches — disse.

O americano chega em fevereiro, quando já está próximo do início da temporada regular da 12ª edição do certame estadual. O import voltará a atuar ao lado do halfback Carlos Medeiros e o defensive line Caio Pereira, quando alinharam pelo programa rival Timbó Rex.

— Independente de salário, a gente procurou entender o que ele [Hill] buscava para trabalhar aqui no Brasil, o que, de fato, agregaria valor para ele. Existem outros fatores bem mais importantes do que a questão salarial, como: a forma de trabalho, como o time está procedendo na evolução, se existe planejamento para ficar mais tempo no País. A gente conseguiu fechar um negócio legal para ele e o time — ponderou.

O ingresso de Hill no roster e na comissão técnica aumenta a expectativa do programa de Gaspar em voos maiores na elite nacional.

— Nosso objetivo é ganhar o catarinense e a Conferência Sul do BFA. Temos o Timbó Rex como referência em Santa Catarina e Brasil, sabemos que ainda tem Paraná HP, Coritiba Crocodiles e Santa Maria Soldiers, e sem desmerecer o Jaraguá Breakers e São José istepôs, que são times tradicionais e fortes. O nosso objetivo é o mesmo de todo mundo: almejar o título — finalizou.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Leave a Comment