November 29, 2021
Juventude foi surpreendido no começo, mas virou o placar. Foto Tassiana Schmitt/Futebol Americano Brasil

Iniciados os procedimentos judiciais para apurar o caso de injúria racial no jogo entre Juventude vs. Restinga Redskulls

Tempo aproximado de leitura:1 minutos, 42 segundos

O resultado dentro de campo terminou com vitória do Juventude sobre o Restinga Redskulls. Foto Tassiana Schmitt/Futebol Americano Brasil

O episódio de injúria racial no confronto entre Juventude e Restinga Redskulls, pela temporada regular do campeonato gaúcho, ainda não terminou. Em contato com o Futebol Americano Brasil, o advogado representante da equipe porto-alegrense no caso, Carlos Ernesto Fleck, atualizou o FABR sobre os procedimentos.

Saiba como foi a temporada 2017 do campeonato gaúcho



Os atletas do Restinga Redskulls que sofreram as injúrias raciais durante a partida realizada em Caxias do Sul, por intermédio de Siqueira Fleck Advogados, apresentaram na última semana notícia-crime ao Ministério Público de Caxias do Sul (MP-RS). O documento descreve o detalhamento das ofensas proferidas por um jogador do Juventude e de alguns torcedores.

De acordo com a notícia-crime, ela está embasada em relatos de atletas, arbitragem e profissionais da imprensa que presenciaram o ocorrido. Além disso, a súmula da partida, vídeos e áudios destacado possibilitam a comprovação do fato criminoso.

— Permitir a ocorrência de injúrias raciais, em país miscigenado como o Brasil, beira o inacreditável. Não é novidade a ocorrência deste tipo de ilícito, sobretudo no esporte. Porém, deve-se discutir esse tema, para que a sociedade tome consciência e tal não se repita mais — argumentou Fleck.

A notícia-crime aponta que o atleta que injuriou as vítimas está devidamente identificado. Agora, a Polícia Civil trabalha na identificação dos torcedores envolvidos no delito. Tão logo haja a identificação de todos, o Ministério Público poderá iniciar o processo criminal. A pena prevista é de um a três ano de reclusão.

— Na notícia-crime que apresentei, tem elementos suficientes para denunciar um dos jogadores. Porém, o MP preferiu mandar o expediente para a Polícia Civil para identificar os torcedores, a fim de fazer uma única denúncia. O prazo é 30 dias para investigações, mas acaba demorando mais. A polícia vai ouvir testemunhas, analisar vídeos e áudios — explicou Fleck.

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias e curta-nos no Facebook.

Sobre o autor

Henrique Riffel

Jornalista e editor-chefe do Futebol Americano Brasil. Pós-graduado em Jornalismo Digital pela Famecos/PUCRS. Ex-colaborador do Pro Football e American Football International. Antigo produtor multimídia do Locast Project do MIT/EUA
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias, no Instagram em @futebolamericanobrasil_ e curta-nos no Facebook.

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *