October 16, 2021

Recordista de touchdowns do Recife Mariners em 2015 comenta primeiros passos na Superliga

Tempo aproximado de leitura:3 minutos, 4 segundos

Adolfo com a #44 do Recife Mariners. Foto Tiago Giordani

A temporada do running back do Recife Mariners, Lucas Adolfo, em 2015 foi inesquecível. Foram dez touchdowns no ano passado e novas metas foram criadas. Se antes ele nem pensava em ser running back, o desempenho carregando a bola e sendo o principal pontuador da equipe o elevou a outro patamar. O camisa 44 dos Mariners virou alvo das defesas. Porém, na estreia da Superliga Nacional, Adolfo mostra que, assim como no ano passado, será difícil de pará-lo. Foram dois touchdowns marcados e a prova que ele continuará a ser um dos expoentes dos azuis em 2016.

Confira a classificação da Superliga Nacional

Leia a conversa com Adolfo na íntegra

Recife Mariners – Foi a estreia que você esperava?

Lucas Adolfo – De uma forma geral, sim. A minha principal estratégia pré-jogo é tentar não imaginar muito pra não ficar nervoso. Tentei ao máximo não projetar nada pra esse jogo. Fui com a cabeça de executar a jogada chamada e dar o meu máximo durante cada uma. Aconteceram alguns erros que complicaram a gente, mas no final deu tudo certo.

Mariners – É mais complicado chegar a este nível ou conseguir se manter entre um dos principais running backs do Brasil?

Adolfo – É difícil me considerar um dos principais running backs do Brasil. Sei que tive uma temporada boa em 2015 e comecei bem o ano de 2016, mas ainda é difícil me comparar aos grandes corredores do país como Rômulo (Vasco da Gama Patriotas), Clair (Timbó Rex), Santucci e Mullet (Coritiba Crocodiles), Ícaro (aposentado) e Pingo (João Pessoa Espectros), entre muitos outros que correm com a bola de uma maneira fenomenal. Acho que a busca para chegar neste nível ainda continua e é muito mais importante do que se manter atuando como eles. Até porque o nível cresce a cada ano.

Mariners – Qual foi o momento mais complicado da última partida?

Adolfo – O primeiro tempo inteiro. Os dois primeiros quartos da partida foram um desafio pessoal. A nossa defesa conseguiu segurar bem e bater forte o jogo inteiro, mas no início o nosso ataque imprimiu um bom ritmo de jogo e depois esfriou. Começamos a errar algumas coisas que comprometeram algumas jogadas. Muitas faltas nos empurraram para trás anulando alguns bons avanços e até irmos pro vestiário, as palavras “tá difícil” não conseguiram sair da minha cabeça.

Mariners – O que você achou da estreia de Alex Niznak?

Adolfo – O cara é diferenciado. Gigante, absurdamente forte, tem uma leitura de jogo rápida e precisa. Foi um pouco difícil de encaixar o jogo com ele no começo, mas aos pouquinhos foi fluindo. Mas a necessidade de treino com ele é absurda. Temos pouco tempo pra o próximo jogo e ainda não estamos caminhando nas mesmas passadas.

Mariners – Como foi a comunicação com ele?

Adolfo – Foi um pouco complicada. Ele não fala absolutamente nada em português e meu inglês não é lá essas coisas. O que eu sei, deu para suprir a necessidade no momento. Explicar algumas coisas, alguns detalhes antes do snap e executar as jogadas da melhor maneira possível. O que dificultou mais foi ele ter chegado na sexta pra jogar no sábado. Faltou treino e entrosamento, que ficaram visíveis nos primeiros passes dele, onde os recebedores não conseguiram segurar a bola, e em algumas jogadas que ele não tinha domínio total. Mas isso só tempo e o treino resolvem.

Mariners – Traçou alguma meta de touchdowns para essa temporada?

Adolfo – Não. A meta é ser melhor que a temporada passada. Não tenho número de touchdowns, jardas ou corridas definidos. A meta é ser melhor do que ano passado pra conseguir o que não conseguimos ano passado.

Sobre o autor

Henrique Riffel

Jornalista e editor-chefe do Futebol Americano Brasil. Pós-graduado em Jornalismo Digital pela Famecos/PUCRS. Ex-colaborador do Pro Football e American Football International. Antigo produtor multimídia do Locast Project do MIT/EUA
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
0 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias, no Instagram em @futebolamericanobrasil_ e curta-nos no Facebook.

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

One thought on “Recordista de touchdowns do Recife Mariners em 2015 comenta primeiros passos na Superliga

  1. […] Source: FutebolAmericanoBrasil Adolfo com a #44 do Recife Mariners. Foto Tiago Giordani A temporada do running back do Recife Mariners, Lucas Adolfo, em 2015 foi inesquecível. Foram dez touchdowns no ano passado e novas metas foram criadas. Se antes ele nem pensava em ser running back, o desempenho carregando a bola e sendo o principal pontuador da equipe o elevou a outro patamar. O camisa 44 dos Mariners virou alvo das defesas. Porém, na estreia da Superliga Nacional, Adolfo mostra que, assim como no ano passado, será difícil de pará-lo. Foram dois touchdowns marcados e a prova que ele continuará a… LEIA MAIS EM… Recordista de touchdowns do Recife Mariners em 2015 comenta primeiros passos na Superliga […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *