September 18, 2021
Ex-Porto Mutts atuará no college football dos Estados Unidos. Foto Mutts/Divulgação/Futebol Americano Brasil

Experiência no Porto Mutts rende a Gil chance de jogar por Laney College

Tempo aproximado de leitura:3 minutos, 26 segundos

Ex-Porto Mutts atuará no college football dos Estados Unidos. Foto Mutts/Divulgação/Futebol Americano Brasil

A sina de portugueses que aprenderam a jogar o futebol americano em Portugal a atuar em programas nos Estados Unidos está em plena ascensão. Depois de ver Guilherme Eloy a conquistar uma bolsa parcial para atuar no high school pelo Rabun Gap Eagles, agora é a vez do ex-Porto Mutts, Tiago Gil, a se tornar o primeiro lusitano a ingressar no college football. Gil tem uma oferta da Laney College para estudar e jogar pelo Laney Eagles.

Confira a história de Eloy nos Eagles

Gil tem 25 anos e começou a carreira no futebol americano através do programa do Porto Mutts. Pelos rafeiros atuou como wideout e slot receiver na temporada de 2018/2019. Chegou a anotar dois touchdowns, um pela Liga Portuguesa de Futebol Americano (LPFA) contra o Lisboa Navigators e outro contra o Algarve Sharks pelo Torneio Fundadores.

A permanência nos Mutts foi rápida, uma vez que apareceu a oportunidade de estudar na América, mais precisamente, na University of San Francisco. Entretanto, não havia o interesse em seguir na modalidade no exterior, tanto que USF não tem um programa de futebol americano.

— Quando saí de Portugal a minha prioridade não era, de todo, o futebol americano, tanto que ingressei numa universidade sem uma equipa de football. Durante a minha última época com os Mutts, em 2019, lesionei-me gravemente no joelho esquerdo, o que me obrigou a parar. Na altura, nem sequer sabia se ia conseguir voltar a jogar. E como comecei a jogar tão tarde na minha vida, nunca sequer pensei que poderia conseguir algum sucesso na modalidade aqui — comentou Gil a Santo-Tirso TV.

A vontade para voltar ao relvado prevaleceu. Em 2020, Gil ingressou no Alameda County Knights, da West Coast Football Alliance, uma liga amadora da California. O jogador foi orientado pelo head coach Mitch Lockett, que o instruiu a tentar alcançar voos maiores com as participações em combines da The Spring League, em Houston, no Texas, além de ampliar a rede de contatos com scouters de outras universidades.

O treinamento rendeu frutos com o interesse da Laney College – California Community College Athletic Association (CCCAA), Bay Valley Conference. A instituição é conhecida por participar da série da Netflix Last Chance U com o programa do Laney Eagles.

— A universidade que se mostrou mais interessada foi a Laney College, em Oakland. Tive a oportunidade de fazer umas provas físicas com eles e acabei por receber o convite para começar a jogar na equipa assim que terminar os meus estudos, em dezembro deste ano — disse.

Mesmo com poucos vídeos de highlights para mostrar aos recrutadores dos Eagles, o auxílio de Lockett foi determinante para conseguir o espaço no roster de Laney.

— O meu treinador nos Knights que sempre recomendou Laney como uma boa opção, logo entramos em contacto. Infelizmente com a pandemia não tive grandes highlight tapes cá, mas ainda tive oportunidade de jogar uns quantos jogos pelos Knights em semi-profissional — explicou.

O fato dos Eagles estarem nos holofotes devido ao Last Chance U não intimida o atleta.

— Eu tento não pensar muito na parte da pressão, tal como sempre fiz desde que cheguei cá. O importante para já é manter uma boa forma física, estar preparado para a oportunidade e fazer questão de dar o melhor de mim em campo — contou.

A experiência adquirida no Porto Mutts como receiver será aproveitada nos Eagles em outra função, a de tight end. O jogador também poderá ser indicado ao lado defensivo da bola ou special teams.

— A ideia é utilizar me a tight end. Mas, desde que cheguei aos Estados Unidos que joguei também special teams e a linebacker. Por vezes, também completava a defensive end para fazer edge rush — explanou.

A pesar dos Eagles estarem em divisões inferiores do college football, Gil quer usar o próprio exemplo para catapultar interesses de outros jogadores de Portugal a tentar a chance nos Estados Unidos.

— Um dos meus principais objetivos é mostrar que o sonho de vir jogar para cá é alcançável, daí gostar de partilhar o percurso — finalizou.

Sobre o autor

Henrique Riffel

Jornalista e editor-chefe do Futebol Americano Brasil. Pós-graduado em Jornalismo Digital pela Famecos/PUCRS. Ex-colaborador do Pro Football e American Football International. Antigo produtor multimídia do Locast Project do MIT/EUA
Happy
Happy
0 %
Sad
Sad
0 %
Excited
Excited
100 %
Sleepy
Sleepy
0 %
Angry
Angry
0 %
Surprise
Surprise
0 %

Comentários? Feedback? Siga-nos no Twitter em @fabrnoticias, no Instagram em @futebolamericanobrasil_ e curta-nos no Facebook.

Average Rating

5 Star
0%
4 Star
0%
3 Star
0%
2 Star
0%
1 Star
0%

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *